segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Lamentável ajuda...


Não é a primeira vez que fenômenos naturais arrasam cidades inteiras, destroem casas, fazem vítimais fatais e geram miséria por onde passam. Assim como em 2006, quando a costa sudeste da Ásia sofreu com os estragos causados pelo Tsunami, neste ano, moradores de cidades como Itajaí e Blumenau, em Santa Catarina, viveram uma catástrofe causada pela chuva.

Frente à enchente que assolou cidades catarinenses e o drama vivido por diversas famílias, pessoas do Brasil inteiro resolveram praticar um ato de solidariedade e fazer doações de alimentos, roupas, brinquedos etc. Apesar do esforço por parte dessas pessoas, grande parte do material não tem chegado àqueles que realmente precisam, pois voluntários que trabalhavam no encaminhamento dos itens doados e alguns soldados do Exército foram flagrados furtando roupas, mantimentos, tênis, entre outros.

É incrível como pessoas como essas têm a coragem de roubar materiais que se tornam essenciais na vida de quem perdeu tudo ou quase tudo com as chuvas. Muitos que não têm onde morar, o que vestir e nem sequer o que comer deixam de ter o direito de receber as doações feitas para eles por pessoas de diversas classes sociais, muitas que a muito custo enviaram sua ajuda. Enquanto ouvimos falar neste lamentável "desvio", recebemos a nota de que um morador de Ilhota que perdeu a casa e cinco parentes durante as chuvas devolveu R$ 20 mil achados em um casaco doado para sua família. É com notícias como essa que ficamos cada vez mais confusos quanto a índole e o caráter do ser humano.

domingo, 28 de dezembro de 2008

Ensaio sobre a decepção


Parafraseando José Saramago, apenas no título, não conseguiria mais que isso, quero escrever hoje sobre a decepção.
Nesses tempos de fim de ano, quando as pessoas se lembram das boas palavras - que remetem a bons sentimentos- e saem por aí, dizendo e dizendo (quase nunca sentindo e desejando de verdade)... É aí, eis que surge aquele ser humano que você nunca fala, que nunca dirige a palavra e muito menos o olhar para você e diz, com aquele sorriso de fotografia (se é que me entendem) e diz: "Feliz Natal, Feliz Ano Novo! Tudo de bom para você e sua família... Paz, saúde, amor, esperança"... Ahhh... É sempre assim. E é a partir daí que eu começo a me decepcionar.
Sim! DECEPÇÃO! Palavra feia, né?! Proibida, pelo menos no sagrado mês de dezembro! Ora bolas, as pessoas vivem essa "indústria da esperança", como disse Drummond. Esperam ser mais felizes, mais ricas, mais saudáveis, mais mais no dia que vem vindo. No reveillon soltam-se fogos cheios de esperança de que quando todos acordarem, que estejam todos melhores, mais mais. Mas aí, as pessoas voltam para casa na manhã, bêbados, com o branco da roupa um tanto quanto escuro cheirando a champanhe, cerveja e vinhos. Mas quando voltam, não se importam com o ser humano que está ali, em seu passeio e dizem "malditos vagabundos, não trabalham e ficam enxendo o saco". E aí, depois que acordam, cheios de ressaca, continuam sendo quem sempre foram, não procuram mudar, fazer acontecer o que na meia noite passada tanto desejaram. É... Esperam que todas as palavras bonitas que ouviram e que falaram na noite anterior venham e batam na porta, assim como aquele senhor cheirando a pinga fez.
Não, não, não! Bando de babacas alienados! Não vão bater à sua porta! Você é que vai ter que correr atrás, se quiser. Parem de reclamar, comece assim! Por favor, agradeçam mais. Mais e mais. Assim, quem sabe, vocês possam ser mais e mais. Sei lá.
Continuaremos (porque eu também faço parte dessa cadeia de bobagens) a errar, a trair, a mentir, a pecar, a amar, a odiar, a cantar, a chorar... Continuaremos a nos decepcionar... Mas, continuaremos.
Ahh... Sei lá! Queria só desabafar, na verdade. É que, como faço parte da indústria da esperança, desejo para esse ano de 2009 que as pessoas sejam mais mais, que elas comecem a agir para ser assim. E aí, a palavra decepção vai, cada vez mais, fugir do meu vocabulário. Do nosso vocabulário.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

O que é um Natal?

É estranho parar pra pensar o que representa o dia 25 de dezembro todos os anos. Esperamos sempre uma bela festa, sorrisos, alegria, presentes. Esperamos sempre um momento de descontração, boas comidas, um saboroso champanhe. Esperamos felicidade. Mas o que é felicidade? Ontem, indo para casa 22h para me arrumar e sair, vi o caminhão de lixo passando na rua. O que é o dia 25 de dezembro para esses 4 trabalhadores?

Pensando bem, acho que idealizamos demais essa data. Nos obrigamos a estar felizes e junto de pessoas que também devem estar. Estar triste não é permitido. Quando você está triste parece que você está por fora daquele estado de espírito de todas as casas. Você não está adequada.

Ontem, se eu não vi uma bela árvore de Natal iluminada, se eu não comi um belo peru, se eu não sorri, ouvi uma bela música e estive próxima da família e dos amigos o Natal não passou. Sim, o Natal passou e não é a tristeza de uns que fez o dia 25 mudar. As alegrias existiram, mesmo as falsas, aquelas alegrias forçadas a fim de não estragar a festa dos outros. Aliás, essas, particularmente, se deixassem de existir fariam muitas festas menos felizes, mas pessoas mais sinceras e não reprimindo seus sentimentos.


No próximo Natal, desejo sentimentos mais verdadeiros, menos reprimidos, mesmo que isso traga menos alegrias, mas mais sinceridade.

sábado, 20 de dezembro de 2008

Só falta ele pedir um no tamanho 44



Jornalista iraquiano: Toda vez que eu chego em casa...
Povo iraquiano: E ai jornalista, o que você vai fazer?
Jornailsta iraquiano: Eu vou usar o meu sapato pra me defender!!!
Povo iraquiano (vibrando): Ele vai dar uma sapatada no cara dos EUA!!!

"Não sei o que o cara disse, só vi o sapato dele", brincou o presidente fanfarrão, depois de virar personagem de música popular em lojas de calçados e de ser convidado para a próxima campanha publicitária da Nike. Bush ainda afirmou que o episódio (hilário) dos sapatos voadores não o envergonhou.
Expert em sapatada, o meu vizinho, um menino de 7 anos e que é o capeta, também afirmou que nunca se envergonha quando tem que fugir da ira dos sapatos paternos.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Em tempo: programão para o fim de semana

Entre minhas passeadas na internet, em busca de algo pélvis para publicar aqui, encontro a seguinte chamada, dentre as Últimas Notícias muito pélvis do Terra:



Me desculpem os que passaram 10 horas na fila pra comprar o ingresso 25 vezes mais caro, mas eu ri. Muito.

Imaginei a família paulistana planejando o fim de semana: vamos levar as crianças para ver a Madonna, é mais barato que ir ao cinema!

E, como eu sou muito chata, vou acabar com a fantasia dessa família: menores de 12 anos não entram nem acompanhados dos pais. Aaaah...

Confesso que queria muito ir ao show. Mas se fosse de graça - ou algo próximo dos dez reais. Só não vou porque meu cheque especial me lembra que a viagem custa 5 vezes o show, o que o torna caro demais.

Enfim. Delão, hein, Madonna? Quem diria!

Vamos fechar uma van e ir ver a Madonna em São Paulo! Cinqüentão paga tudo: viagem (que é o que fica mais caro), ingresso e cachorro-quente pós-show.

Obs: não estou desmerecendo os guerreiros que ficaram 10 horas na fila para pagar 300 reais pelo show; fã é fã, e eu também sou fã o suficiente de alguns artistas para pagar isso.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Agora todos podem atirar sapatos no Bush!



Depois do episódio sensacional que ocorreu domingo passado em que o jornalista iraquiano Muntazer al Zaidi resolveu se manifestar de uma maneira no mínimo lúdica jogando seu sapato contra o Bush Júnior, o incidente que ocorrera durante uma entrevista à imrprensa de Bagdá virou jogo de video game na internet!

Em Paris, o "Sock and awe" é o jogo mais procurado e já está sendo requisitado internacionalmente. Pela contagem do criador, um jovem britânico de apenas 24 anos, Alex Tew, já foram mais de 1,5 milhão de sapatos que atingiram o presidente com sucesso!

O nome do jogo faz uma alusão à operação americana chamada "Shock and awe" em 2003 com o intuito de tirar Saddan Hussein do poder.



No mínimo, Tew está muito feliz com o dinheiro que está ganhando e nós nos divertimos com essas invenções magníficas da era da internet!!

Atire você também pelo site: www.sockandawe.com
Divirta-se!

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Linda, safada e rica


Stefania Gabriella Germanotta, 22 anos, de uma família de ítalo-americanos, foi uma criança exibicionista. Conforme foi crescendo, desenvolveu um talento (nato: aos 4 anos, aprendeu a tocar piano de ouvido) para compor músicas que foi aproveitado por diversos artistas, como Britney Spears, New Kids On The Block e Pussycats Dolls.
Stefania tem a história e o perfil de artista - e o nome: Lady GaGa, uma referência à música Radio GaGa do Queen.
2008 foi um ano decisivo em sua carreira: o compacto Just Dance, lançado em abril, com três músicas, iniciou a divulgação do trabalho de Lady GaGa. Aproveitando a divulgação conseguida com a apresentação no Miss Universo, em julho, o CD The Fame foi lançado oficialmente, 3 meses depois. Três clipes já rondam o Youtube: Poker Face, Beautiful Dirty Rich e Just Dance, o primeiro single.
Não extremamente bonita (beirando o "normal") e sexy de um jeito às vezes bem pouco sexy, GaGa é uma boa pra quem quer ouvir algo não extremamente novo, mas um electro-pop pouco diferente. E, pra quem quiser, no meu Blip tem algumas músicas ;)

Em tempo 1: desfazendo qualquer possível ilusão, ela já assumiu não ter um único fio loiro na cabeça.



Ok, "normal" sou eu. Morena, ela é beeeem bonita.

Em tempo 2: Veja a apresentação da Lady GaGa no concurso de Miss Universo:


Outros links: site oficial, Myspace e canal oficial no Youtube.

O BANHO DE LUXO DOS PARLAMENTARES



Agora, mais do que nunca, Brasília será frequentada pelos parlamentares até então mais ausentes. Era questão de infra-setrutura, entende? Faltava um "bom" apartamento, confortável, à altura de seu cargo.
E os problemas deles acabaram!!!!!!!!
Agora não tem desculpa!!! Para nossos queridos parlamentares que se dirigem à capital a trabalho, lutando por um país melhor, reivindicando e aprovando leis que realmente fazem a diferença não há mais problemas. Em tempos de crise financeira em todo o mundo, os apartamentos funcionais dos parlamentares estão ganhando reforma! Sim, aqueles usados eventualmente durante estadias em Brasília. Estavam muuuuito acabadinhos, inusáveis! E não é que para assuntos particulares eles aprovam as coisas rapidinho!!

É, 120 unidades estão sendo reformadas, com um valor a ser gasto de 44 milhões de reais!!!!!!!!

Ouvi dizer por aí que a intenção é explorar todos os recursos de praticidade e conforto, sem pensar nos gastos, magina, pra que pensar nessas coisas não é mesmo?
Afinal que brasileiro não tem uma banheira de hidromassagem em casa?

Sim, foram compradas 120 banheiras de hidromassagem além de utensílios com um preço muito acima que o normal.
Entre os utensílios mais necessários está o Triturador de resíduos, afinal, que parlamentar vai perder termo triturando seus próprios resíduos, não é?!

Não esqueço de ocentar sobre o assento removível para banho, claro que se atentaram para que fosse da linha Conforto, afinal banho cansa a gente né, imagina os parlamentares que chegam cansados depois de um dia daqueles em Brasília, muito merecido!

Faz-me rir!

Eu recomendo!


Sem querer trazer uma grande crítica de cinema, porque isso eu não posso nem sonhar em fazer (devido a um currículo, nessa área, tão branco quanto às roupas das propagandas do OMO e do ACE) trago hoje uma sugestão de filme gostosa e divertida para todo mundo que, como eu, quer desfrutar bem das férias.
O filme francês "O fabuloso destino de Amelie Poulain" simplesmente vale a pena. Não querendo dizer que ele trouxe de volta a maravilha do cinema francês, nem dizendo que a atriz principal, Audrey Tautou, é A atriz... Mas sim, o filme e a atriz e o enredo, e, principalmente, a forma com que a história é contada são surpreendentes. Dá até gosto de ver!
A sinopse? Está aqui a baixo... Confiram... Mas peguem o filme, não vão se arrepender! É original e mágico!

Amélie Poulain (Audrey Tautou) é uma jovem e humilde garçonete. Sua infância não foi das melhores; seu pai nunca se aproximou de verdade e só chegava perto dela para fazer exames (já que ele era médico); seu peixinho sempre tentava suicídio; e sua mãe teve uma morte trágica e estranha (acreditam, é muito estranha). Morando em Montmartre, um bairro de Paris, Amélie encontra em seu novo apartamento uma caixa que contém objetos pessoais e sua conclusão leva a crer que essa caixa é do ex-morador do local.

Amélie vai então em busca do suposto dono daquela caixa. Quando ela o encontra e nota a felicidade do homem ao rever seus objetos recuperados, algo muda em Amélie. Ela vê agora um novo sentido de vida. Ela então passa a sempre fazer o máximo para ajudar as pessoas; seja encontrando coisas pessoais; ocultando algumas coisas; juntando casais; e outras coisas. Mas falta algo em sua vida: um grande amor. Que parece ter surgido em um de seus feitos. Agora, depois de ver a felicidades de todos, ela quer a dela também.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Abortar ou não abortar, eis a questão...

E mais uma vez o assunto "aborto" entrou em discussão. Hoje, segunda-feira, o presidente do nosso país (e que coragem a dele!) colocou o tema na mesa e defendeu que a dicussão sobre o direito de se abortar é uma questão de saúde pública.
Nada mais justo, já que em se tratando de abortos e dos danos que eles causam de saúde, inclusive danos morais, quando não se causa a morte das mulheres - parece ser inexistente no nosso país!
Ora, esse comportamento é muito pélvis!!!!!!!! Todos nós sabemos que milhões de mulheres morrem por ano fazendo abortos clandestinos, cheios de risco à saúde. Claro que mulheres pobres, né? Já que as madames "não abortam, são sempre moralmente corretas e religiosamente perfeitas". Defender a discussão desse assunto é mais do que necessário e, problemas à parte, Lula está certo (e um um tanto quanto atrasado)em defender essa causa. Afinal de contas, quem sofre, pra variar, são as pessoas que estão na base da pirâmide. E defender o direito ao aborto, não é defender a morte de crianças inocentes e indefesas, é defender um problema sério de saúde pública.

domingo, 14 de dezembro de 2008

Ensaio sobre machado objeto e homem



Foi na branca carteira da sala da primeira série que me ensinaram que machado era substantivo concreto que nomeava um objeto cortante, de cabo de madeira e cabeça dura igual ferro. No ginásio, contudo, machado se promoveu, no meu então pobre e miúdo dicionário, a nome próprio: machado agora vinha acompanhado por Assis.
Ou melhor, Joaquim Maria Machado de Assis, um certo escritor pelo qual me encantaria, não só devido a sua pena afiada, como também por causa da associação que construí em torno de sua imagem: parece loucura, mas sempre vejo um machado de perfil entre a sobrancelha e a boca do homem Assis!
Insanidade à parte, Machado também marcou meu processo de amadurecimento intelectual e social. Isso porque demorei a compreender, por exemplo, a famosa frase dos "olhos de cigana oblíqua e dissimulada". Foi na prática, por outro lado, que descobri o que Bentinho sentia quando disse que conhecia "as regras do escrever sem suspeitar as do amor".
Enfim, o que estou tentando contar é que a palavra machado esteve e ainda está presente em minha formação. Todo esse texto, porém, é só uma tímida opinião de uma leitora machadiana. Afinal, "quem conta um conto" se prepara para receber as batatas ou para "brincar com fogo".

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Férias... Pra quê te quero!!?


É... As férias estão aí. Para todo estudante, esse, com certeza, é o moneto mais esperado do ano. Descansar, ficar na vadiagem, ver filmes e filmes com os amigos (ou com o(a) namorado(a)), jogar bola, nadar, tomar sorvete, ir ao cinema... Dormir e acordar na hora que bem desejar - e na hora que achar que seu humor tá de bem com a vida.
Cheguei na minha terrinha, matei saudades de tudo o que eu sentia - afinal de contas, estava em Bauru e há dois meses não voltava a Passos. Nossa, que delícia é você chegar e ver o sorriso de pessoas que você ama: da irmã, da mãe, do pai. Nada melhor do que entrar em casa e sentir o cheirinho de café da tarde. Nada melhor do que você chegar no seu quarto, escarrapachar na sua cama, olhar para cima e pensar, numa quase oração: "graças a Deus eu estou aqui!".
Ahh... Férias! Como é bom! Você à toa, só esperando as amigas ligarem e avisarem qual o próximo programa.
Porém, férias em faculdade são estranhas... A gente passa o ano todo vendo aquelas pessoas quase que 25 horas por dia. Noites e noites em claro para fazer "aquele" trabalho (do Bulhões, se é que me entendem). De repente, cada um vai pra sua cidade (pro seu quadrado) e, aí, é tchau e até daqui 3 meses!
Poxa, é estranho! Me peguei pensando nisso e levei um susto. Como é que meus colegas vão estar? Quem será que vai chegar solteiro, namorando? Quem será que vai , mudar o visual, pintar o cabelo de azul!? Quem será que vai estar feliz, quem estará com problemas? Quem será que vai lembrar de mim, nem que seja por um dia? Quem não pensará nisso?... Quem será que vai voltar (tem sempre aqueles que "abandonam o dadá)?
Bem, as férias estão aí. Isso, acho que todos estão sabendo - e curtindo. Mas, o que eu queria com esse post era desejar boas férias a todos. Que descansem, façam coisas malucas, que tomem chuva dando risada, que passem um natal maravilhoso, que comemorem o reveillon com aquela industrialização da esperança (como acreditava Drummond). Ah! Queria, principalmente, que todos tivessem essa impressão que eu tive ao voltar à minha terrinha: de como é bom estar aqui, de como é sem comparações estar em casa. De como é maravilhoso sentir esse cheirinho de café fresco... Mas de, no fundo do peito, ter a certeza de que tudo isso se torna melhor porque ficamos longe por um tempo e, como filhos pródigos, sempre retornamos a essa instituição careta, mas fundamental, chamada LAR!

domingo, 7 de dezembro de 2008

"Here's Johnny!"


(Apesar da rejeição por parte da Mamute)

“O Iuminado” é um filme lançado em 1980, pelo diretor Stanley Kubrick, e baseado no livro “The Shining” de Stephen King. O elenco principal conta com a presença de Jack Nicholson, Shelley Duvall e Danny Lloyd.

O longa-metragem se passa no Colorado, EUA, onde Jack Torrance é contratado para vigiar um hotel por 5 meses em uma época de baixa temporada, durante a nevasca. Jack leva para o local sua esposa e seu filho. O garoto, o iluminado, que possui poderes sobrenaturais, consegue enxergar tragédias ocorridas no hotel tempos atrás e Jack Torrance, vivendo em meio a um contínuo isolamento, começa a ficar agressivo e apresentar acessos de loucura.

Com uma trilha sonora aterrorizante, ótima performance dos atores e longos planos, Stanley Kubrick trás às telas todo o pânico vivido nos imensos corredores do Overlook Hotel e, assim, faz uma excepcional adaptação do best-seller de Stephen King. Para compreender o clássico do suspense, é preciso mergulhar no universo de um dos maiores cineastas do século XX, conhecido por retratar, como poucos, o lado escuro da natureza humana.

Para produzir o filme, Kubrick decide retirar parte dos “monstrinhos” presentes na obra de King para dar ênfase nas atitudes e olhares de Jack, personagem de Nicholson, que são, sem dúvida, muito mais aterrorizantes. O diretor consegue, com êxito, nos transmitir a degradação dos personagens no sentido psicológico e, com a impecável atuação de Nicholson, expor aos expectadores a angústia e perturbação da mente huamana, além da mais profunda sensação de solidão.

Considerado, por muitos, a obra prima do suspense moderno, "O Iluminado" é, por outro lado, muito criticado por não ser um filme explícito de sustos. Ele é um filme destinado àqueles que se sentem tentados com a despertar de seus medos interiores.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

CD novo da Lily Allen está chegando!

Em fevereiro, o segundo CD da Lily Allen, It's Not Me, It's You, chega às lojas.

Você sabe sim quem é a Lily Allen: aquela cantora inglesa, que surgiu tem uns 2 anos, com aquela voz fininha e música grudenta, Smile: "at first... when I see you cry... it makes me smile... yeah, it makes me smile"

O clipe do primeiro single do novo álbum, The Fear, já está no Youtube. Mas, pra você não ter o trabalho de ir atrás e ficar com preguiça de conhecer, eu coloco aqui:



Mais Que Pélvis aprova e recomenda, tanto o vídeo, quanto a música, quanto a cantora.

Aliás, a Lily voltou da triste gravidez, do cabelo loiro, do cabelo rosa, do topless, dos quilos a mais e das sessões de hipnose, linda e magrela, parecendo uma bonequinha de porcelana fofinha. Aliás, graças a Deus ela agora parece usar sapatos decentes com vestidinhos, não tênis.

Para mais Lily Allen, clique aqui

Em tempo 1: Talento não se mede pelo tamanho da mão.

Senão, eu também seria famosa. Ok, conhecida. Tudo bem, teria uma página muito visitada no Myspace. Tá bom, teria uma página no Myspace! ("página muito visitada no Myspace" é só a da Mallu Magalhães, a menina-prodígio papa-velho)

Em tempo 2: para quem comparava a postura "foda-se" da Lily com a da Amy Winehouse:

Achei engraçada.

A GM É AMEAÇADA PELO SEU MODELO ECONÔMICO

A General Motors admitiu o risco de parar de funcionar até 2009. Ameaçada a certo tempo, com a crise, o problema só se agravou. O valor de mercado da empresa automobilística chegou a ser menor que na época da Grande Depressão em 1938.
A Carta Capital da semana passada priduziu uma matéria de capa que descreve todo o processo que desencadeou a atual situação da montadora. A Ford também não fica atrás. O risco de falência era grande e só aliviou com a intervenção do Congresso a fim de possibilitar um empréstimo em dezembro. A Chrysler, fechada, também não consegue empréstimos e está em crítica situação assim como a GM.
Não é a toa que essa situação ocorre. Em outubro deste ano, a venda de veículos diminuiu 32% aproximadamente com o pior desempenho vindo da GM, cuja queda chegou a 45%.
Com a situação de desconfiança generalizada, as exigências para concessão de crédito foram mais bruscas que das outras. A GM não levou em conta a idéia de que precisava de clientes e não espantá-los. Já sofre desde o surgimento das montadoras japonesas nos anos 80. Com a campanha “buy American” da mesma época, tentou-se apoiar as empresas americanas, mas as grandes de Detroit só tenderam a minimizar sua potência no mercado internacional cada vez mais.
Esse ano, mais da metade dos carros vendidos são de montadoras estrangeiras, um grande problema. O antigo modelo de Ford que ergueu países no pós-guerra foi bom para incluir os operários como consumidores mas outros aspectos não agregados pela empresa de Ford foram introduzidos nos ideais da concorrente General Motors. O hedonismo nada praticado pela Ford foi valorizado pela GM com práticas como fantasia, imediatismo e desperdício.
Os seus produtos eram trabalhados pela arte. A GM foi a primeira montadora a criar sua própria financeira. E não foi seguido pela Ford, que considerava a ação prejudicial ao consumidor e à economia. Não à toa, a Ford ficou para trás e só se reergueu 40 anos depois com o pós-fordismo valorizando o marketing.
Contudo, a GM não se esforçou a fim de criar modelos econômicos e que atraíssem o consumidor contemporâneo. Não buscaram eficiência, como dizem os liberais e ecologistas, no consumo de combustível. Preferiram manter a tradição do desperdício e da ostentação. Ademais, como lembram os conservadores, seus custos altos e fixos, conseqüência dos altos salários e dos planos de saúde e previdência aos empregados, não são bem vistos.
Resta agora saber qual será a atitude do governo americano. Estatizar essas empresas ou entregá-las a estrangeiras capacitadas de reerguê-las. O fato é que, no mínimo, o american way of life não funcionou.

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Herdeiros de Tio Sam

Andava apressada pela Wall Street, acompanhada por centenas de pessoas que pareciam sofrer do mesmo mal que eu: falta de tempo. Aliás, o tempo não faltava, continuava ali, se fazendo sentir pelo sol, que pela sua posição, deveria ser meio dia. A fim de me certificar, olhei para o relógio do prédio da bolsa de valores norte americana. No momento em que o letreiro digital do edifício indicava doze horas, as bolsas mundiais começaram a despencar. Foi quando vários engravatados, resolvendo seguir o ritmo da economia, se jogaram do alto prédio. Literalmente chovia sobrinhos de Tio Sam.
Desculpe-me. Essa história não é verdadeira. Só queria explicar o que imaginei quando ouvi a moça do telejornal avisar que bancos dos Estados Unidos haviam quebrado, enquanto os índices de Nasdaq e Dow Jones caiam. Na tal cena, me imaginei como uma quadijuvante daquele episódio ocorrido em outubro de 1938, conhecido como “Guerra dos Mundos”, em que uma estação de rádio, a CBS, para medir seu poder de influenciar seus ouvintes, informou que alienígenas tinham invadido a Terra. A história que imaginei, no entanto, não seria a de uma suposta guerra entre dois mundos, mas a de um conflito entre homem e economia. Essa seria uma guerra mais coerente, já que a sociedade do século XXI tem mais medo de perder dinheiro do que encontrar com um extraterrestre.
Mas e eu, que sou uma simples estatística de universitária desempregada, como fico no meio dessa crise financeira? Será que meu aluguel subirá? E a minha mesada, descerá? A única coisa que sei, no momento, é que eu e meus colegas de faculdade temos direito a um Restaurante Universitário em nosso campus. Porém se o Estado se negar a construir novamente um RU e culpar a crise econômica por isso, poderá ocorrer uma segunda Guerra dos Mundos.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Dps da TPM...TPN!

Uma notícia nada agradável. Se você está cansado de sofrer de TPM, aquele estress, aquela coisa chata que te incomoda até a respirar... Ou se você não aguenta sua namorada "naqueles dias", quando ela fica de sinal vermelho, chata pra burro, só qurendo saber de comer chocolate... Calma! A TPM não é a única tensão de que você pode ser vítima.
Pesquisas realizadas por psicólogos do Brasil (do Internacional Stress Management Association - Brasil) revelaram que o estress na população brasileira no período do natal chega a aumentar 75% em relação ao resto do ano.
Os estudiosos explicaram os motivos para tanta tensão: trânsito, sobrecarga de trabalho, compras de Natal e festas. Tudo isso ajuda a agitar o fim de ano de qualquer um, não é verdade? Portanto, se você sentir sintomas como dores de cabeça e no corpo, alterações gastrointestinais e aumento da pressão arterial), emocionais (ansiedade, angústia e preocupação) e comportamentais (uso excessivo de drogas lícitas ou ilícitas, álcool, tabaco e ataques à geladeira), lembre-se de que isso pode ser TPN, ou tensão pré-natal.
Para tudo isso, relaxe. Pense que há sempre uma luz no fim do túnel, ou melhor, um peru no fim da mesa.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Mallu Magalhães: "estou loucamente apaixonada"

E não é pelo Hélio Flanders!



Talvez ela ache que o Hélio tem muita cara de criança.



Mas, convenhamos, ela já deve ter cansado de homens imaturos. Afinal, aos 16 anos, imagina por quantos ela já sofreu.

Mas não precisava esculachar, né, Mallu!!

Em tempo 1: Se o Camelo fosse padre, ia ser um escândalo internacional.

Em tempo 2: Se isso não for golpe de marketing, eu não sei o que é.

Em tempo 3: Mentira, sei sim: é pedofilia.

Em tempo 4: Quem veste essa menina?

Em tempo 5: Não sei quem odeio mais, ele ou ela. Logo, vejo que eles, no fundo, se merecem; só nasceram em gerações diferentes.

Em tempo 6: Leiam isso, é engraçado.

Pelverizando sua infância

Começo, hoje, mais uma seção minha no blog, que irá ter umas duas edições. Eu vim para acabar com a sua infância.

Lembra do filme das Spice Girls? Aquele que era um lixo, mas que você viu 839365 vezes? Então, você se lembra do busão, o Spicebus. Lembra dele peripeciando por Londres?



Hoje ele está aloprando num ferro velho londrino com os colegas rodoviários velhos dele.

E você sabia que, além disso, ele está à venda?

Começa aí. Um dos pedaços da sua infância está à venda. Por 15 mil reais. E nenhum centavo vai pra sua conta.

Mas o pior está por vir: lembra do interior do Spicebus? Que era todo colorido e divertido, que por maior que fosse o buraco, as Spice Girls continuavam em pé dentro dele, e que você queria que seu pai comprasse pra você usar ele como quarto? Então, você lembra dele assim:



Bom, o lado bom é que seu pai agora pode comprar o Spicebus (por uma bagatela de 15 mil contos). Aí, quando o Sedex chegar na sua casa, o seu spicequarto será assim:



Frustrante, não?

Eles acabam com a minha infancia, mas a sua vai junto.

Obs: caso ninguém tenha percebido, pelverizando é um trocadilho de pulverizando

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Super-Obama?


Sim o Obama ganhou! Entre os dois candidatos, o democrata era o, de fato, valorizável. Não entendo, contudo, o que é que fizeram com a imagem desse novo presidente. Uma vitória? Sim... um negro na presidência da maior (ainda?) potência mundial. Um momento em que todos os americanos buscam o salvador e apostaram todas as fichas no que os noticiários estão chamando de “mudança”, “evolução”, “revolução”. Calma gente, calma.

Os democratas já iniciaram a pré-campanha com o intuito de revolucionar a presidência: uma mulher ou um negro. A disputa interna (e reintegro o que meu amigo Rôney concluiu em seu artigo em hajapaciencia4.blogspot.com: a vitória) foi a disputa pelo futuro presidente, ali, naquele partido.

Obama ganhou da sra Clinton. Obama ganhou de McCain e ganhou de Bush e também ganhou de muito preconceito americano, muito racismo. Mas essa conquista merece o espaço que está tendo? Um Jornal Nacional dedicado a Obama e a sua presidência. Um EMA que menciona Obama como a aprovação americana diante do mundo. A melhora da imagem do cidadão americano, o fim das guerras e invasões, o fim da imposição e da posição pretensiosa de império americano sobre as nações. O império que domina e que controla, ou pelo menos tenta.

Será mesmo o fim de tudo isso? Obama adquiriu imagem, status, fama. O salvador. Mas o histórico presidencial de todo o mundo não demonstra que houve tantos salvadores e revolucionários. Muitos obtiveram imagem, mas pouco agiram. Um exemplo próximo: a minha, e de muitos, grande decepção: Lula. Lula, o pai dos pobres. Não tiro o valor de suas ações, mas faltou muito do que prometeu. O povo brasileiro tinha esperanças assim como o povo americano apóia hoje Obama. E como estará esse governo daqui a quatro anos?

Cautela e menos euforia são meus pedidos de hoje.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Só para não deixar em branco...



Esse post é só para não deixar em branco a GRANDE vitória dele, o primeiro presidente negro (e judeu!!1 - só faltava ser comunista...), Barack Obama. O questionamento que faço, aliás, não questionamento, mas reflexão ou observação: o que você espera dele? Isso mesmo, você, leitor do Mais que Pélvis!!!
Porque eu nunca vi na vida, algo do tipo. Obama chegou que nem Jesus Cristo. A espera de mudança dos americanos (e do resto de todo o mundo) é tamanha que o peso que esse homem de quarenta e sete anos carrega não deve ser nada fácil, mesmo antes de ser efetivamente presidente dos EUA.
E dali Obama! Boa sorte!

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Saudosa velharia

Vivemos constantemente em meio a mudanças. Os hábitos, as idéias, a moda, os meios de locomoção, a tecnologia.. tudo se transforma em um ritmo cada vez mais frenético.

Tempos atrás, as pessoas, para registrar momentos de sua vida, precisavam abrir a máquina fotográfica, encaixar o filme, aproximar seus olhos daquele quadradinho que havia na parte de cima, tirar a foto e rodar o filme para deixá-la preparada para a próxima captação de imagem. Depois de usar todas as 12, 24 ou 36 poses, a gente tinha que levar o filme para revelar. Junto com as fotos vinham os negativos, no caso de querermos cópias. Com a fita de vídeo, praticamente a mesma burocracia se pensarmos na necessidade de rebubiná-la toda a vez que queríamos assisti-la. Os trabalhos de escola ou faculdade eram guardados em disquetes e as pessoas costumavam ouvir músicas gravadas em CD.

Alguns anos depois tudo mudou. A boa e velha máquina fotográfica transformou-se na tão famosa máquina digital que, afastada de nossos olhos, conseguimos ver a imagem que queremos enquadrar, não usamos filme e muito menos precisamos nos preocupar com revelação. Basta conectar o cabo USB da câmera ao computador e as fotos logo pulam para lá. Além disso, programas como Photoshop permitem molda-las e deixa-las do jeito que mais nos agrada. Os filmes são gravados em DVD, os ultrapassados disquetes viraram pen drives, objetos mínimos que possibilitam o armazenamento de músicas, vídeos, fotos, textos ou qualquer coisa que a imaginação permitir.

A tecnologia evoluiu, é certo que facilitou nossas vidas, mas é impossível negarmos que rola uma certa nostalgia se pensarmos nos nossos anacrônicos, porém queridos eletroeletrônicos. Ainda bem que ainda temos o amor como artigo perene em nossas vidas, porque a tecnologia...

domingo, 2 de novembro de 2008

Vitória com gosto de derrota...a culpa é do ímpar!



Assim foi o domingo em Interlagos: Massa bem que tentou, Vetel quis contribuir, mas o santo de Hamilton foi mais forte (ou mais rápido). Porém não quero culpar o protetor do inglês, já que o cara mostrou que merece ser o primeiro negro a ganhar o título mundial de Fórmula 1. Prefiro culpar a numerologia!
Veja só, a culpa do azar brasileiro está nos números ímpares:
15: posição que Rubinho Barrichello largou e terminou a corrida;
11: posição que Nelsinho Piquet largou;
1: posição que Massa largou e terminou a corrida;
1: número da volta que Piquet abandonou a prova (esse tem o santo muito carregado, precisa se benzer!)
1: o tanto de pontos que faltou para o Massa levar o título!!!!
Para completar, Hamilton chegou em quinto lugar por causa da "mão mole" do alemão Glock (cujo sobrenome tem 5 letras)!
Quem sabe agora o Massa não coloca mais um A no seu sobrenome (que tem 5 letras) ao invés de usar a mesma cueca do treino classificatório?! É mais higiênico, pelo menos...

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Pééélvis, Dieguito Maradona!!


MARADONA TÉCNICO DA SELEÇÃO

“Pelé é rei. Maradona é Deus”. Foi o que ouvi de um argentino gorducho em Buenos Aires nesse ano. Se esse hermano estiver certo, brasileiro (incluindo EU) vira ateu, porque Deus não falha duas vezes, assim como Maradona falhou nas duas tentativas anteriores em que tentou ser treinador. Diferente do Deguito, Deus não precisa de terceira chance. E diferente do tal hermano ali, mais da metade dos argentinos não querem Maradona como técnico.
Por isso, muito obrigada, Argentina, por escalar Maradona como técnico da seleção de Messi. Não corremos mais o risco de escalarem o ex-boquense para ser nosso técnico, já que agora é moda ex jogador virar treinador. Ou seja, ruim com Dunga, o anão surdo, pior com Maradona, o “Winehouse” argentino.
Amem!

Ferréz é bom para os contos... (um pouco de LM!)

Capão que cansa mas não descansa

“Capão é um livro de mano para mano. É ácido e violento. É um grito.” (Ferréz)
Por Capão Redondo, Ferréz já perdeu a chance de ser empregado, a periferia nunca foi bem vista, mas ele nunca a deixou. A intenção era descrever suas experiências vividas em Capão Redondo, desde as tragédias até a questão da solidariedade dos moradores do bairro.
Ferréz escreveu um livro para representar a periferia como o rap o faz na música. Era necessário, portanto, preservar o vocabulário, as gírias, o jargão da periferia e a oralidade para facilitar a leitura aos marginalizados, público-alvo do livro.
A capa descreve um garoto com uma tarja nos olhos, uma arma na mão e a favela de plano de fundo. Esta imagem determina o estereotipo do morador da periferia: a idéia do tráfico – arma, da falta de identidade – a tarja, o garoto de vermelho – cor que somada ao ambiente favela, lembra violência..
O romance é escrito em terceira pessoa e apresenta Rael como personagem principal. Um cidadão honesto, trabalha numa padaria, não bebe nem se droga. Tem o grande sonho de ser escritor. A partir de uma relação amorosa proibida, a trama desenvolve-se com um destino que mira a tragédia: vingança, roubo, cadeia, morte.
Ferréz soube trabalhar a ambiência e o cotidiano, porém peca quanto à estrutura do romance. É uma história previsível que não estimula de certo o leitor, sua linguagem rebuscada de violência torna-se, por vezes, exacerbada e consideravelmente chula. Diferente do que faz em seus contos, pelos quais Ferréz atrai qualquer um que leia somente a primeira linha, o romance, talvez por ser extenso, torna-se cansativo.
Capão Pecado é um livro que não sugere intenção de atingir um centro político ou social, é feito pelo marginal e para o marginal. Ferréz buscou a escrita como intervenção social e crítica em relação à realidade de sua comunidade oprimida.

Caio não Coube, nem Serra...



É engraçado como um final de semana fora pode nos deixar longe e desinformados. Um desses em Minas e eu perdi o bafáfá geral que deve ter sido aqui em Bauru com a passeata de campanha de CAIO COUBE(foto ao lado), que teve a grandiosa presença do ilustre (adjetivo pertinente para a careca também) do governador do PSDB, José Serra. Aliás, uma das caminhadas mais rápidas da história da política de Bauru, que só durou um quarteirão.
Não, não foi por cansaço ou estrelismo de qualquer um dos políticos... Mas sim, devido à manifestação de policiais civis que continuam em sua longa greve (que começou em setembro deste ano). Os policiais exigem um reajuste de 15% em seu salário nesse ano de 2008 e mais 12% ano que vem.
Com direito a spray de pimenta (não se sabe quem o usou), a passeata não aconteceu, o governador levou uma "dedada" na cara e, assim, saiu à la francesa porque não gostou nada nada...
Pobre Caio Coube ficou de bico, porque além de votos perdidos (ou não, né?) sem a passeata, cheirou spray de pimenta e, por fim, não Coube na prefeitura, perdendo para a oposição peemedebista de Rodrigo Agostinho.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Morre logo, Amy!

Amy Winehouse está no bico do corvo! De novo.

Convido todos os leitores a fazerem uma novena pela morte de Amy Winehouse, para acabar com o sofrimento dela e o nosso também. Afinal, ninguém agüenta mais ela entrando e saindo da rehab, sendo internada, enfeiando, quase morrendo.. mas ainda entre nós. Tipo um zumbi.



Correção: um zumbi. Pensando melhor, acho melhor fazer uma roda de oração pela encarnação da Amy, já que o corpo já foi faz tempo.

Em tempo: Para as mocinhas desesperadas em perder peso e mostrar os ossinnhos, siga a dieta da Amy Winehouse: substitua a comida pela cocaína!



Essa funciona mesmo!

domingo, 26 de outubro de 2008

Volta o pônei (não) arrependido, com o rabo entre as patas...


"EX-PRESIDENTE DA CÂMARA SEVERINO CAVALCANTI É ELEIRO PREFEITO"
Não preciso nem mencionar que pônei é esse que voltou...aliás, não ele não voltou, sempre esteve pastando lá em Pernambuco. Poxa, será que o nordeste ainda não cansou de ser cavalgado pelos pôneis Cavalcanti? Será que o Severino ainda não cansou de dar uma vida severina para o seu povo?
Deixo as respostas para o Gabriel, O Pensador:

"Ninguém faz nada
Nem os governante, nem a massa dominada
O povo é ignorante. O governo é uma piada.
E se você não é ignorante. Muito bem.
Então, pelo amor de Deus,
Venha se expressar também.
A voz do povo é a voz de Deus
Quem disse isso não fui eu,
Mas acho que quem escreveu essa frase era ateu.
Pq o povo tá sem voz. O povo tá calado.
Tá parado esperando Deus. Batendo palma pro Diabo.
Enquanto o Diabo, rato, porco, vai se perpetuando.
O povo fica parado de baixo.
De quatro, bobo olhando.
Se matando, sem dinheiro.
Esperando deitado de bruços.
Esse é o povo brasileiro"

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

PREFEITURA DE SÃO PAULO SÓ TEM CANDIDATOS LOUCOS!!!

SHOW DA SEMANA PASSADA!
A PREFEITURA DE SÃO PAULO VAI DAR SHOW.... HUHAUHAUHU
Vou dar uma variada nos meus posts... é que realmente este comentário merece!
A prefeitura de São Paulo está AMEAÇADA!
A senhora Suplicy que não é Suplicy faz tempo resolveu sair cumprimentando todo mundo nas ruas. Que belo, que belo, eu acho é que a plástica mexeu um pouco com a sua visão...
No meio do calçadão a candidata resolveu cumprimentar uma modelo, uma modelo DE PLÁSTICO...SENSACIONAL!!!!!!!!!!!!


Ainda bem que ela riu depois... disfarçou um pouquinho...disfarçou nadaaa!!!
Dona Marta, a senhora puxou muito os olhos!





Pra finalizar, já que eu to falando de prefeitura da capital paulista, mais sensacional que a Marta cumprimentar boneca é o senhor Kassab soltar a seguinte "confissão"... "Muitas mulheres querem se casar comigo" COMO ASSIM... será que ele acha que só a mãe dele é mulher no mundo?... ah fala sério... nem a mulherada que quer casar por dinheiro... garotas, vão procurar uma coisinha melhor que esse não dá pra aguentar não ....................EU HEIN... SAI DE MIM!

domingo, 19 de outubro de 2008

De um dia cinzento...

Sabe aqueles dias cinzentos? Aqueles dias em que você se depara somente com você, com sua imagem em um espelhinho... E de tão íntimo que é com sua imagem, você chega a estranhá-la? Aí você pensa e se interroga... Por que isso, por que aquilo... Por que uma boca tão ntrospectiva, por que olhos tão úmidos... Aí você viaja, se interroga, viaja e cantarola quase como uma reza os versos tão sábios de Cecília Meirelles: "em que espelho está perdida a minha face?".
Sabe aqueles dias cinzentos em que você sente falta de tudo e de nada? Sente falta de amigos antigos, de seus abraços calorosos e tão compreensíveis... Você sente falta dos amigos antigos que olham em seus olhos e já te entendem, e é assim que vocês batem longos papos, trocam tantas idéias e sentimentos... Com a boca sempre fechada.
Sabe aqueles dias cinzentos em que você sente falta daqueles novos amigos, que te fazem tão feliz, te fazem rir e se sentir em casa. Sente falta dos novos amigos que te fazem acreditar, ainda, que existem pessoas boas em todos os lugares do mundo. E que, olha só, você pode nunca estar sozinho.
Sozinho como se sente agora... Em dias cinzentos, em dias que são tudo e nada... Em dias cinzentos que você, para você, é nada e tudo.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Brasília: um recanto de artistas esquecidos

A onda de famosos que apostam suas fichas na política está cada vez maior. Mas a nova moda não pegou por acaso. Muitos fãs dão chances de seus ídolos engatarem na vida política quando encontram-se no papel de eleitores.

Há dez anos, o jogador de futebol Biro Biro foi eleito vereador de São Paulo, e mais recentemente, em 2006, o apresentador e fofoqueiro Clodovil Hernandez foi eleito deputado estadual pelo PSC. Até Silvio Santos já se aventurou na política tentando o cargo de presidente da política em 1989, mas teve sua candidatura vetada 15 dias antes das eleições.

No último Domingo, a Cantora Gretchen, famosa rainha do rebolado, disputou a eleição para a Prefeitura de Itamaracá, em Pernambuco, e a ex-chacrete Rita Cadillac pretendia ser vereadora da Praia Grande, cidade litorânea de são Paulo. Mas o número de eleitores foi insuficiente para poderem deixar no passado a vida do rebolado. Perece que, agora, o êxito político está sorrindo para os cantores. Netinho de Paula ex-integrante do grupo Negritude Jr. foi o terceiro vereador mais votado de São Paulo e o cantor de forró Frank Aguiar foi para o segundo turno como candidato à vice-prefeitura de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista.

Em tempos de democracia, todos os cidadãos têm direito de escolher as pessoas responsáveis por representá-los seja onde for. Mas o que podemos ver é que tal poder de decisão tornou-se mera brincadeira. Sair de casa no domingo e enfrentar fila para exercer a cidadania parece não significar muita coisa para milhares de brasileiros que, por simples simpatia pelo candidato ou banalização do voto, acabaram colocando pessoas que nada tinham a ver nas cadeiras do Senado, da Câmara dos Deputados etc.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Notícia fake

Mal surgiu e já foi desmentida, mas eu gosto de acreditar no que eu gosto de acreditar. Simplesmente porque eu gosto. Como que eu pareço a Angelina Jolie. Ou que nem o Lauro e o Batman.


E que a irmã da Britney está grávida. De novo. Quatro meses depois de dar a luz.


Atentem às peculiaridades:


1) repito: Quatro meses depois de dar a luz.


2) Teste de gravidez caseiro. Não sei dizer por que, mas isso me parece ter uma cara de pobre! E ela é, na pior das hipóteses, irmã da Britney.


3) Você também entendeu isso: ela foi ao médico porque não conseguia seguir dietas? Que tipo de pessoa vai ao médico porque não consegue seguir dietas, e faz teste caseiro de gravidez??


4) Essa merece ser transcrita: De acordo com seus amigos, Jamie acreditava que não poderia engravidar enquanto estivesse amamentando. Sem mais comentários.


5) A mamãe Britney já deve estar cansadíssima de suas filhotas aspirantes a mamães que tá até aconselhando o aborto. Podia ter aconselhado uma camisinha.... hum, verdade, camisinha deve ser contra os princípios da igreja que elas seguem. Queria saber que igreja é essa, que aborto tudo bem, mas camisinha não.


Mas não é essa a questão! A questão é que eu acredito na gravidez da Jamie Lynn. Acho que todos nós deveríamos acreditar. Porque, agora que sabemos da pseudo-existência dela, pensar que ela era só um boato deixa o mundo sem graça.


Em tempo: isso que é seguir os passos da irmã bem sucedida! Só não precisava ser tão literalmente.

Para Alckmin, restam agora os doentes

Alckmin ainda tinha esperanças. No fundo, pensava que o painel poderia se reverter na capital do Estado. Enganou-se. Perdeu o trem ao segundo turno, perdeu a eleição.
E pensar que esse é o mesmo Alckmin que já ameaçou a candidatura presidencial de Lula. Mas ele apenas ameaça. Quando vence é porque o apoio tucano é grande e dessa vez não foi assim.

Os kassabistas tinham como o “cabeça” do movimento, José Serra, um tucano apoiando um democrata. E não deu outra, Serra colocou Kassab, “indiretamente”, na primeira posição rumo à final. Kassab passou de Alckmin e também deixou a Marta para trás. Ela devia estar “relaxando e gozando” demais para não perceber o sucesso da campanha de Kassab à moda Serra.

E o primeiro turno das eleições municipais de São Paulo terminou sem grandes motivações. O voto de exclusão prevaleceu sobre o voto confiante em relação ao candidato. Quem é menos ruim? É nesse que se vota. Ou não. Esse povo deve estar muito confuso. Não tem candidato que sugira mudança, só há as velhas posições que já conhecemos. A Soninha apareceu como um novo rosto, mas talvez faltou algo mais para atrair não só os jovens que nela votaram.

Maluf também não desiste. Na onda dos ditos, o candidato que “nada sabe” pode ser relembrado pelo “estupra, mas não mata”. Claro, acabe com o que existe de físico e psicológico de um ser humano e deixa ele vegetando que é melhor. O Maluf anda pensando como os eleitores paulistanos: o que é menos pior?

E a semana começou bem. Alckmin resolveu mudar de vida, voltar ao seu velho estilo trabalhador de ser, vai voltar a se dedicar à vida que adquiriu com os estudos. O médico resolveu perceber que o seu sucesso pode estar longe da política. Mas é claro, só depois de uns dias de descanso no seu particular sítio. Realmente o médico cansou de brincar de ser político.

sábado, 4 de outubro de 2008

E eles ainda querem tirar nosso diploma?

Como estudante de Jornalismo quero aqui deixar minha indignação. Eles ainda querem tirar nosso diploma. Incrível como não somos valorizados! E mais incrível ainda é que desde que a minha mãe estudou Jornalismo na PUCCAMP (nos antigos anos 70) eles divulgam essa idéia por aí!

Mas olha lá, a sociedade foi interrogada sobre isso. E vejam só! Mais de 70% dos entrevistados disseram achar essencial que os jornalistas tenham um diploma. Ora, gente! Eles querem credibilidade, querem acreditar no que dizemos. Afinal de contas, não é só escrever (como se isso fosse fácil)... É, também, formação teórica, técnica e ética.

Além disso, a pesquisa revela que os leitores/ouvintes/telespectadores estão conscientes da importância do papel do jornalista para a sociedade. A pesquisa feita revelou que 42,7%, disseram que acreditam nas notícias que lêem, ouvem ou assistem, 12,2% que não acreditam, 41,6% que acreditam parcialmente e 3,5% não sabem ou não responderam.

E, mesmo depois disso tudo, continuam com a idéia de acabar com a nossa PROFISSÃO!
Ah!.. Isso é muito PÉLVIS!!!!!

P.S.: A pesquisa foi feita pela FENAJ/Sensus, foi divulgada nesta segunda-feira (22), em Brasília. Dos dois mil entrevistados em todo Brasil, 74,3% se disseram a favor do diploma, 13,9% contra e 11,7% não souberam ou não responderam.

Carta para a Mtv

Querida Mtv,


Escrevo essa carta para falar sobre aquela premiação, o VMB, que aconteceu na última 5ª feira. Sabe o que é, eu não gostei dela. Ela tentou ser boa. Como todo ano. Desde o começo, com o mamão Marcos Mion dando uma de padre voador e, infelizmente, fazendo uma feliz aterrissagem no palco do VMB fingindo ser um bom ator. De repente, ele vira a Vanessa da Mata, o Di do NxZero, a Malu Magalhães, o Chorão e o Caetano Veloso.
Em outras palavras, já no início o VMB mostrou que quem deveria ser escalado para apresentar esse ano era o Marcelo Adnet . Além de ser muito bonitinho.



Né?

Ou seja, vocês começaram errando. Tentando errado. De novo.

Após o início fraco, o Ben Harper veio bem, com um show sem nada de especial, mas impecável, e com a participação da linda Vanessa da Mata. Me lembrou que, há um ano atrás, eu estava tristonha vendo o show do Juliette and the Licks e lamentando que não ia vê-los ao vivo no Tim Festival.

Um ano depois, lamento que vocês continuem insistindo nos mesmos erros, como o Marcos Mion, o Marcos Mion semi nu e o Marcos Mion fazendo piadinhas que só ele ri, as participações fraquíssimas (Danilo Gentili, Galisteu, César Cielo Fofão foram as vencedoras) e os puxa-saquismos. Isso sem contar que vocês sempre querem resgatar o passado, como se ele fosse bom, com a Kika fazendo o papel de bonita burra/Isabeli Fontana e reproduzindo o tempo todo o barraco do Caetano. E o pior é que ainda não botaram essa porra pra funcionar!!

Outros fracassos eu entendo que fugiram das suas mãos, como o Bloc Party dublando muito mal. Mas nós somos assim mesmo. A Ivete canta, a Sandy canta, até o NxZero e a Pitty cantam – desafinando, mas cantam. Por que os gringos vêm pra cá e querem dublar? Se a gente vaiou a rainha do playback Britney Spears, a gente vaia o Bloc Party também. Não estamos nem aí.
Gostaria de separar um pedaço da minha cartinha para falar da Pitty. Vocês percebem o monstro que criaram? A cada ano ela está mais arrogante, mais desafinada e mais certa de que é a melhor seja-lá-o-que-ela-for do Brasil. Viram o bicão e a cara de criança mimada dela quando o Marcos Mamão falou que a banda dos sonhos tinha mudado por ordem do “parágrafo”? E ela agradecendo o prêmio de melhor show, foi a emoção mais sem emoção que eu já vi. Na verdade, ela foi tão convidativa ao chamar os que nunca foram em um show dela que acho que vou no próximo – se for de graça, porque, com toda aquela simpatia, acho que não vamos nem pagar.
A auto-proclamada rainha da Mtv: "welcome to hell, losers!"

E terminou a fala com uma frase que... enfim: “uélcam tu réu”, que deve querer dizer “welcome to hell”. Pelo amor de Deus, Mtv, chega de Pitty; põe a Bianca Jhordão, do Leela, que é “tão” talentosa quanto, mas pelo menos é bonitinha e simpática.
Viram como ela é bonitinha e simpática?

E tentem não errar com o NxZero que nem fizeram com a Pitty. Isso começa parando de chamá-los de emo. Eles não gostam, tadinhos. Viram como o Di ficou chateadinho e gritou “emo é o caralhoooo!”? !”, com o bonezinho de lado à la menino maluquinho? Porque emo não ganha prêmio no VMB. Ninguém gosta de emo. Nem eles mesmos, pelo visto. Arrumem um analista pra eles não crescerem com crise de identidade.

Aproveitem e arrumem um pra Mallu Magalhães também, que é a filha mais nova e nem foi lembrada no VMB. Essa sim vai crescer problemática – já não bastasse a voz de gato, a cara de menino e o fato de não ser o Hélio do Vanguart.

Também a Marimoon foi uma atração à parte, tanto no aquecimento, em que emprestou sua falta de talento em entrevistas ao VMB, como na participação com a Funérea, do Fudêncio. Marimoon estava mesmo um infortúnio, e terminou como uma mancha rosa sem carisma no palco. Um mangá fora de contexto, não sei. Não entendo o que ela quer, nem o que vocês querem com ela. Mas a cagada final veio depois de um milhão de votações forjadas: mudar o locutor praquele que acha que imita o Lula. Na boa, o que exatamente vocês querem com o VMB?


Os grandes mamões vencedores do NxZero

Mas tá certo que nem tudo foi horrores, e o VMB teve seu momento florido também: o show do Chitãozinho e Xororó com Fresno, que todo mundo já estava esperando “Uma Música” e tocou “Evidências”, foi uma surpresa bem bacana. O show do Bonde do Rolê, também, foi muito divertido, provavelmente o mais divertido da premiação inteira. O ápice, lógico, ficou para o final, primeiro por ser o final, e depois pela performance de “Furfles Feelings” com Brothers of Brazil, Ed Motta, Roger, Nasi, Negra Li, Pitty, Kiko Zambianchi, Malu Magalhães, Helio Flanders, Strike e mais um monte de gente. Destaque do destaque, Lucas do Fresno e Di do NxZero mostrando seus dotes de Backstreet Boys.


E também foi bacana, mas meio sem sentido, a homenagem ao Andreas Kisser. Na verdade, bacana foi o jamzinho no final, pra mostrar que o metal, os cabelos bonitos e pessoas competentes e humildes ainda tem lugar na Mtv. Uma vez por ano. Por 30 segundos. (mais uma vez, falando da Pitty: “ele consegue tocar blues, ele consegue tocar metal...” ela realmente sabe identificar alguém talentoso.)

Pra terminar, duas coisas: 1) o Marcos Mion foi quem mais apresentou VMBs. Mtv, COMO VOCÊS DEIXARAM ISSO ACONTECER?? 2) Façam melhor ano que vem. Assim: embebeda todo mundo e põe o Adnet pra apresentar. Convenhamos, ele (quase) salvou a premiação nas aparições que fez. E as piadinhas que vocês fazem só são boas depois de umas e outras... muitas outras.

Resumindo, parem de tentar e façam de uma vez.

Até o ano que vem! Se eu for convidada.

Giovana.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

59 anos de um Governo desumano

Os chineses comemoraram, nesta quarta-feira, os 59 anos da República Popular da China. O Partido Comunista da China (PCC) governa o país por meio de um sistema de partido único desde a revolução, liderada por Mao Tse-Tung, que derrubou a dinastia Manchu. O líder angariou grande parcela da população que, no contexto pós Segunda Guerra Mundial, depois de ver seu país invadido e tendo sofrido todas as conseqüências que uma guerra gera por si própria, sofria com os problemas de miséria e exploração.
Na praça da Paz Celestial, no centro de Pequim, 190 mil pessoas se reuniram para ouvir o hino nacional e assistir ao hasteamento da bandeira da China. Muitos chineses chegaram antes da meia-noite para conseguir ficar próximos à ela. O evento mostrou-se bastante comovente e de grande relevância para o país: durante o hasteamento, 10 mil pombos foram soltos e o presidente Hu Jintao colocou um buquê de flores diante do Monumento aos Heróis do Povo na Manhã, além de ter decretado feriado nacional durante toda a semana.
O massacre ocorrido há quase 20 anos na mesma praça pelas forças de segurança contra estudantes que realizavam um protesto por maior liberdade no país reflete uma contradição existente no país. Enquanto o Governo chinês mostra-se extremamente repressor, autoritário, ignorando os Direitos Humanos e a liberdade de expressão e de imprensa, o povo, aquele mesmo povo que tempos atrás lutava por um país mais justo, pelo fim da exploração e por uma vida mais digna, hoje lota uma das principais praças do país para, justamente, prestigiar o Governo.
Os propósitos da revolução que o líder chinês desejava não vingaram. Atualmente o país afunda no poço da “desumanização”. Enquanto isso, o povo finge que nada acontece e deixa ir embora tudo o que um dia sonharam alcançar.

A mentira do ministro

Na história em quadrinhos do Palácio do Planalto, Jobim vestiu a camisa do Pinóquio.

O colapso tomou conta do Palácio do Planalto. O senhor ministro da Defesa, Nelson Jobim, não achou que sua “mentirinha” fosse aparecer. Jobim acusou Paulo Lacerda, ex-diretor geral da Abin, Agência Brasileira de Inteligência, de ter capitaneado o suposto grampo publicado pela revista Veja entre o presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, e Demóstenes Torres, senador pelo DEM-GO. Acontece que o equipamento utilizado para acusar Lacerda não fazia grampo, foi comprado nos Estados Unidos para ser usado para varreduras e identificação de códigos, foi uma compra sigilosa. O Exército também não gostou nada da atitude do ministro Jobim.
De fato, sua palavra fez o presidente Lula tomar severas providências. Lacerda foi “mandado embora”. Mas Lula soube se redimir, rapidamente, quando descoberta a falsa acusação do “Pinóquio” da Defesa. O senhor Lula ficou bravo, mas...
É difícil entender como é que o presidente, como num ato de pressa, retira Lacerda da direção da Abin e nada faz quando o seu ministro mente. O Jobim mentiu. E não aconteceu nada, não mudou nada, o Lula ficou só um pouco “bravinho”. Mas é claro, o Jobim desejava segurar a Operação Satiagraha e os petistas também. Há casos de grampo legal averiguados pela Satiagraha, na qual petistas discutem interesses pessoais do dono do Opportunity. Se o senhor Daniel Dantas for pego, uma boa turma do PT vai junto com ele. Para finalizar, o senhor Dantas mantém ainda relações com Flávio, filho de Lula, os dois são sócios em negócios no Pará.
O Jobim não vai embora. A decepção cresce quanto a certas posições do presidente. Está faltando mais credibilidade no seu governo. Claro que não se compara ao FHC ou coisa assim, mas a decepção é um fato.

sábado, 27 de setembro de 2008

Ajoelha e peeede!

Pra começar queria avisar todo mundo que é muito errado chamarmos as pessoas que vivem no país dos bancos falidos de norte-americanos. Estudanidense tá de bom tamanho. O Canadá também é norte-americano, por exemplo!
Tá... o assunto é outro, mas eu sempre me irritei com isso!!!
Ontem, o WaMu faliu, mesmo sendo um banco que atua no varejo, o que, DETERMINARIA solidez à instituição. A CRISE CONTINUA.... e não é preciso nem Osama Bin Laden pra "derrubar" os grandes bancos!!! Tá parecendo dominó!
A CRISE CONTINUA! O fato é que a hora pra ela chegar foi extremamente inapropriada... às vésperas das eleições presidenciais, nem para ajudar a economia, republicanos e democratas entram num acordo.
Teve até secretário do tesouro se ajoelhando à democrata pedindo que mantivessem disposição de acordo. Henry Paulson foi o personagem do dia na reunião da Casa Branca que só serviu para acirrar as disputas presidenciais e provar que a política ESTADUNIDENSE não deixa de interferir na economia.

PS 1. Brasil, para de achar que a crise estadunidense não vai nos atingir! A economia deve desacelerar, como reporta o Valor.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Greve russa causa conflito em membros de comunidade

Acima, Roney-cara-de-pau disfarça para não ser reconhecido


Russo, o grevista: "continuo a minha greve!"

Greve russa gera tensão na comunidade Haja Paciência nessa quarta-feira, 24.



O movimento começou depois que o grevista Renato Russo Diniz, 18, cansou de esperar atitudes de seus sempre ausentes "companheiros" (assim definidos por um deles, Thiago Teixeira, 23) Roney Cara-de-Pau Rodrigues,20, e Gabriel Nem-tô-sabendo-da-greve Salgado,20.

Os dois comapnheiros ausentes causaram indignação no trabalhador Russo, que reclama, resumidamente, por mais participação dos companheiros da sociedade Haja Paciência. Além disso, Russo afirmou, no mesmo artigo, que não voltará a escrever e postar no blog enquanto Thiago não se tornar um engajado participante da política centro-direitista.

De acordo com o grevista, e agora mais um ausente da sociedade "Haja Coxiência", quatro itens terão de ser seguidos para que sua participação aconteça, novamente:



"Lista de exigências:

1 - O blog deve ter pelo menos uma postagem diária, seja de quem for2 - Musta e Buba devem atingir a marca de 22 postagens3 - A postura política do JB deve ser de agora em diante de centro-direta conservadora populista (hehehe, essa é brincadeira)4 - Quero que alguém me peça desculpas (cota de 25% para exigências emo)".



Porém, ainda estamos em uma democracia e, portanto, Roney teve direito de se defender. Em um artigo um tanto quanto articulado, como participante do Sindicato do Blogueiros Ausentes, ele mostrou estar tranquilo com sua situação, defendido pelo grande advogado de Maluf, o Mão-Leve, Roney lembra ao companheiro Russo de que “durante os dois últimos meses eu postei regularmente: um por dia. Mas parece que hackers ligados a oposição tem apagado meus posts com o intuito de denegrir minha imagem junto a Corporação Haja Paciência e abarrotar o processo democrático. Mas o povo está do meu lado!”. Além disso, ele diz que os outros membros entraram num acordo e que a Corporação Haja Paciência S/A não se responsabilizará pelas consultas psiquiátricas de Russo, caso o companheiro tenha complicações advindas da abstinência de postar.



A situação é tensa e não se tem previsão para finalizar.

De acordo com a Folha, animais de um zoológico chinês estavam sendo vítimas de leite adulterado. Os bichinhos eram alimentados com leite em pó da marca Sanlu, comercializada com altos níveis de melamina, composto que disfarça a diluição da bebida em água e eleva o nível da proteína. Testes realizados apontaram a presença de cálculos renais na maioria dos animais e , além disso, 4 filhotes morreram.
Essa notícia não nos remete a algo ocorrido no Brasil ano passado?
A Parmalat também já aderiu à moda de "batizar" os leites longa vida, mas, nesse caso, as substâncias adicionadas aumentavam o volume da bebida e disfarçavam as más condições de conservação.
É admissível que as empresas tenham ambições em relação ao mercado, que se empenhem para liderar nessa luta contra a concorrência. Porém, a partir do momento em que esse esforço se reflete na ameaça da saúde de pessoas e animais, a situação passa a ser diferente...

Dobradinha pélvis

Notícia Pélvis 1:





Beeeeem pélvis, né? Mas nada perto da segunda; além de pélvis, ele foi postado no site errado. Deveria estar em um site da Suíça.





Leu bem? classe média também pode ter barco. Pede um pro seu pai quando você entrar na faculdade. Pára no ponto de carona e fala "vou pela Nações" de lancha. É minha grande aspiração de classe média. Faça-me o favor.

Sei lá, da classe média que eu venho, a gente pensa primeiro na praticidade. Você, indivíduo da classe média, que trabalha o ano todo pra tirar uma semana de férias - e olhe lá... não é um investimento coerente, uma lancha. Troca de carro, mas não compra lancha. Acho que a classe média nem aspira a uma lancha. Acho... ou...

...meu Deus, sou mais pobre do que eu pensava!

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Enquanto o ponto não chega...

Engraçado como histórias interessantes passam em frente aos nossos olhos, no simples fato de sentarmos em uma poltrona de ônibus coletivo.
Hoje, enquanto vinha à faculdade, observei - como sempre - as pessoas a minha volta, que entram e saem numa sempre triste-isolada-solidão: todo mundo sempre busca uma poltrona na qual se sentará sozinho, com, no máximo, um MP4 de companhia...
E aí, todos "viajam" no mesmo barco, mas e mundos muito, muito diferentes... Então, os pensamentos ficam soltos no ar... E quam sabe, não se encontram e conversam pelo espaço do ônibus e saem, mundo afora, rindo de suas cabeças que lá dentro daquele veículo estão de boca fechada?
Ninguém conversa. Todos estão preocupados com suas tarefas, seus trabalhos, seus amores mal correrpondidos... Ou estão felizes, pensando na noite passada, num email inesperado, num emprego consquistado...
O ser humano é um ser social, mas que consegue ser solitário em meio a tantos outros... Não sei.
Eu só reparo, só os observo, mas eles estão muito preocupados com suas coisas e, por isso, nem percebem que eu os encaro e viajo também; contudo, viajo em história que eu imagino para cada um deles...
Uma mulher carrega um bebê tão lindo que chora, chora... Mãe é mãe. Está sempre ali.
Em um muro lá fora, um grafiteiro me espanta e mostra que não, a "classe" dele não está tão mal politizado como a sociedade insiste em afirmar: "Seja trouxa, vote nos ladrões"!
É... Nos surpreendemos se olharmos bem. Cada ser humano é um livro cheio de surpresas...
Há muita história interessante nos cercando... Há muita surpresa, sorrisos e lágrimas enquanto o ponto não chega.

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Cadê os cinco milhões do Sr. Mutran?!

Hoje aconteceu algo engraçado!!!
Um vereador de São Paulo, capital, teve sua casa invadida por cinco criminosos. Pelas últimas informações, os assaltantes buscavam 5 milhões de reais!!!!!! CINCO MILHÕES DE REAIS! CIIIIIINCO MILHÕES DE REAIIIISSS!...Eu tenho lá minhas dúvidas de que "os caras" seriam tão idiotas de entrarem numa casa visada, como é a de um vereador candidato a reeleição na capital do estado, se não tivessem CERTEZA de que lá estava a grana que eles procuravam!!
E, para variar, toda a imprensa nacional deu mais ênfase à invasão da casa do que para o motivo de que o que eles buscavam lá eram 5 milhões de reais "provavelmente" existentes.
Não tenho acompanhado muito a cotação do salário de vereador, mas manter 5 milhões de reais em casa não é nada de mais, é dinheiro de troco, né!!! Ou quem sabe uma herança, uauu!
O fato é que ladrão que prepara e planeja a ação sabe muito bem que o que está buscando EXISTE!! Não souberam achar... Ou então a grana não estava mais lá, quem sabe encontra-se hoje num desses paraísos fiscais por aí a fora. O Sr. Mutran deve tomar cuidado com os locais em que guarda seus bens em espécie... Tem gente de olho neles!!

Marketing pessoal sem burocracia

O blog da Giovana Penatti, conhecida universitariamente por Mamute.


domingo, 21 de setembro de 2008

Boca fechada, olhos perdidos

Bem, hoje é domingo e cá estou eu, um tanto quanto nostálgica... Aquela coisa bem de estudante que mora fora... Deixa tudo para trás: sua casa, sua família, sua vidinha, seu estado, seus amores, seus amigos... Tudo, tudo para seguir um sonho. Que sim, vale a pena! Além de ser necessário nos dias atuais, essa coisa de estudar e "ser alguém" independente, diplomada, mestre, doutor, pós-doutor e o diabo a quatro... Então, folheando meu caderno, achei uma crônica que escrevi há alguns meses atrás, bem à toa e distraidamente em uma daquelas aulas que não chamam a atenção... Bem, aí vai... Um pouco de reflexão pra esse domingão família (mesmo que eu esteja tão longe da minha...).

Boca fechada, olhos perdidos...

Cá estou eu, sentada, atônita. Uma explosão implode em meu peito, mas meu rosto continua o mesmo: boca fechada, olhos perdidos.
Estou perdida em um tempo e um espaço que são meus, e nos quais vivo intensamente. Vivo intensamente o meu não-viver, ou talvez, apenas, o meu não-reconhecimento (ou meu estranhar) de uma vida agora minha.
Respiro fundo porque o ar já não me cabe mais e me foge quase que insistentemente.
Foge assim, como a memória de meu dia a dia me escapa a cada fechar de olhos.
E nesse momento, já me esqueci daqueles meus sorrisos quase que verdadeiros, esqueço de minha alegria quase que real naquele tempo que já não me é mais, pois ficou preso em um infinito - e é nada além de lembranças acompanhadas de suspiros e nem em pó pode se tornar. Então, meus dias daquele tempo ficam no infinito de mim mesma e eu não sei mais quem sou e se eu já existi e fui...
Mas, se não me sei e se não sei se fui, acontecimentos não me chateiam, nem me alegram, porque já são apenas lembranças acompanhadas de suspiros - e nem pó são.
Cá estou eu, sentada, atônita. Uma explosão implode em meu peito brando... Boca fechada, olhos perdidos.

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

"Por você, faria isso mil vezes"

O "Caçador de Pipas" é um best-seller de Khaled Hosseini e que, recentemente, tornou-se um longa-metragem dirigido por Marc Foster. Eu, sim, li o livro e assisti ao filme e, querendo dar uma de crítica, vim deixar aqui minhas impressões.

A história tem como pano de fundo um ambiente bastante tumultuado, época em que o Afeganistão é invadido pela União Soviética e, posteriormente, comandado pelo regime Talibã. Enquanto isso, o autor narra a história de Amir, um garoto rico de Cabul, e seu fiel amigo e filho de um empregado de seu pai, Hassan.

Quando crianças, os garotos vivem em um ambiente tranqüilo de Cabul, participam regurlamente de campeonatos de pipas, passeiam pela cidade. Amir vence uma certa competição ao cortar a pipa de seu último adversário. O corajoso Hassan, então, foi buscá-la para o amigo e dar-lhe como forma de troféu. Mas, quando alguns garotos tentam roubá-la e ele não cede, é brutalmento violentado. Amir vê tudo o que acontece e, sem reagir, passa a se sentir impotente e culpado.

A então tranquilidade e beleza do Afeganistão o abandonam por conta da instabilidade enfrentada, Amir deixa o país, sem nunca mais falar com o amigo, e vê a culpa persegui-lo durante toda a vida. Tempos depois, encontra uma maneira de se redimir, de "ser bom de novo".

Tudo bem, eu assumo: a história é uma sucessão de clichês melodramáticos, um pouco previsível e forçada. Porém consegue prender a atenção dos leitores ou expectadores, mostra as várias faces do ser humano, é um retrato histórico da organização social e política vigente. Através dela, temos a oportunidade de conhecer a cultura e os costumes daquele povo tão distante do nosso olhar ocidental. Uma história emocionante, que conquista pela forma que mostra os sentimentos mais sinceros e profundos que podem existir entre duas pessoas.

É realmente "uma daquelas histórias inesquecíveis, que permanecem na nossa memória anos a fio”, como afirmou Isabel Allende.

Incitando o ódio geral

Thiago Ney, da Folha Ilustrada, sobre o novo CD do meia-idade Marcelo Camelo, vocalista do falecido Los Hermanos:


"Nós", disco de Camelo, beira o insuportável. O que o Los Hermanos tinha de pior -a inútil idealização de uma época que não volta mais; a melancolia auto-indulgente; letras tão idílicas que fariam João Gilberto passar por contestador; arranjos que vão na direção do samba-canção e da tradição MPBística, mas que tateiam sem chegar a lugar nenhum.


Ha! Sabia que não era a única!


Para os fãs e não-fãs, leitura obrigatória.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

"Vila da fantasia"


Após constantes momentos de delay e uma pitada de pressão pélvica por parte das meninas, resolvi postar.

Como primeiro post gostaria de relatar a vocês uma visita que fiz à Livraria da Vila, durante o fim de semana que estive em São Paulo.

A Vila Madalena, muito conhecida pelos seus bares, botecos, baladas e pela sua vida noturna agitada em geral, abriga uma grande e exótica livraria que me impressionou muito e que me fez acreditar que ainda existem lugares onde é possível gastar boas horas com conhecimento, lazer e entretenimento.

Quando cheguei à livraria, reparei em uma mesa grande de centro. Em cima, havia muitos livros intitulados "mais vendidos" e espantem-se: nenhum sobre auto-ajuda. Observei que a vendedora que atendia dois jovens relatava com prazer e profundidade os livros recentemente lançados. As pessoas que trabalhavam no café, dentro da própria livraria, escreviam em uma lousa pensamentos de escritores (o que descobri, posteriormente, tratar-se de uma rotina).

Achei importante contar isso a vocês porque é incrível descobrir lugares assim dentro de uma cidade tão "plural" como São Paulo, onde enquanto poucos têm acesso à cultura, outros muitos vivem frente a uma miséria impossível de se descrever. Mesmo sabendo que lugares como esse não são frequentados pela maioria, por motivos diversos e óbvios, vale uma tentativa ilusória de tentar apresentar locais que, mesmo que teoricamente, estão abertos à curiosidade e interesse das pessoas, sejam elas ricas, pobre, brancas, negras, doutores, semi-analfabetos etc.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Promoção: 23 mortes por 7,70 cada!!

É incrível como depende do lugar em que se menciona os valores, eles são sempre vistos de maneira diferente. Em Brasília, oferecer R$ 7,70 significa desvalorizar o outro, ou até mesmo ironizar sua posição política. Como assim, receber R$ 7,70?! Isso é dinheiro de troco. É... em alguns lugares, realmente, é dinheiro de troco.
Na Indonésia 23 morreram. 23 pessoas morreram porque estavam "lutando", ou melhor, aguardando para receberem R$ 7,70 cada. E o mundo se manifestou?! Essa notícia virou uma pequena reportagem da Folha de ontem. Uma notícia que deveria ter sido comentada em todos os meios da nossa comunicação dita tantas vezes democrática.
Não quero usar esse espaço para pedir um mundo melhor. Quem sou eu?! Eu apenas escrevi..., foi a maneira que encontreu de me manifestar, aproveito para demonstrar a minha indignação diante daqueles que poderiam, ao menos tentar resolver essa situação vergonhosa.

Fica aí o pedido! Que as notícias não se tornem velhos jornais esquecidos!!

terça-feira, 16 de setembro de 2008

A Teologia da Prosperidade

Talvez seja pretensioso de minha parte começar a escrever tocando num assunto, de certa forma, muito polêmico. Não consigo, contudo, conter-me em dar a minha opinião a partir da reportagem de capa de Carta Capital da retrasada. Demorei, mas aqui estou!
A guerra evangélica entre as igrejas parece-me um tanto quanto absurda. Cada dia que passa, mais igrejas, dentro da Grande Evangélica, surgem para imporem suas regras não condizentes com a igreja-origem, funde-se uma nova igreja. Parece-me que os pastores insatisfeitos unem-se e “bum”, outra igreja foi fundada, outra ideologia determinada e aquela que era uma só igreja, hoje engloba uma dúzia que se acusa e se ofende. “O importante, afinal, é saber que a igreja em que se encontra é a mais próxima do Deus tão aclamado e também, de certa forma, tão rico.”.
“Você não tem o “cash”? Dê ao bom Deus o seu carro, deixe aqui a chave da sua casa, assim, ele te perdoará, o milagre irá realizar-se. Acreditem!”. Os cultos de muitas igrejas evangélicas determinam que o dinheiro e a propriedade doados são os meios de se atingir o senhor.
A Teologia da Prosperidade é praticada, constantemente, durante os cultos. A Igreja Universal é a grande potência evangélica no Brasil. Chega a sustentar a Rede Record com os lucros advindos da fé do povo. A novata Mundial, erguida por ex-pastores da Universal, ataca a TP praticada por Edir Macedo e sua igreja, a Universal. Valdemiro Santiago, pastor da Mundial, contudo, finaliza seus cultos “informando” seus fiéis de que a igreja necessita de muito capital para custear programações de TV, como mencionou a Carta Capital. A matemática já está na sua cabeça e pelos cálculos, se cada fiel desse 50 reais, em duas semanas ele atingiria o valor necessário. A igreja contava, no momento, com 14 mil pessoas. Uma atitude, no mínimo, contraditória.
Mundial ou Universal, não importa, parece que os líderes religiosos da crescente Evangélica têm as mesmas intenções. Não critico a fé do povo evangélico, cada um tem a sua. Critico, aqui, essa chamada Teologia da Prosperidade, pela qual a igreja enriquece em troca do fiel comprar o seu lugar no céu, ser perdoado ou receber um milagre. Enquanto nada acontece para comprovar, o povo fiel e miserável trabalha não usufruindo daquilo que adquiriu; seus bens estão, em espécie e em propriedades, na crescente conta da igreja.

Não acuso a fé, acuso a instituição, a empresa que dá valor ao dinheiro num ambiente de fiéis miseráveis.

Última Parada... Terceiro Mundo!



Alguém viu o filme brasileiro escolhido para concorrer ao Oscar 2009, na categoria "melhor filme estrangeiro"?

Pois é, nem eu.

Última Parada 174, o tal filme, é dirigido por um renomado diretor brasileiro, Bruno Barreto (aliás, fofocas à parte, casado com a ex-mulher do graaaande Steven Spielberg).

O engraçado, é que o filme concorreu com mais quatorze, entre eles, Meu nome não é Johnny, Desafinados e Chega de Saudade...

Para concorrer com os outros filmes, Última Parada 174 foi lançado em uma sala de cinema em Jundiaí, sem muitos alardes. Além de ser exibido em Toronto, no Canadá.

O filme é uma ficção baseado em fatos reais, de um sobrevivente de uma chacina no Rio de Janeiro e que anos mais tarde seqüestra um ônibus e faz uma mulher de refém (talvez, alguém ainda se lembre do fato... Triste, no mínimo).

E assim, mais uma vez, a violência do Rio de Janeiro, foco do filme, vai ser divulgada lá fora do país... Não ajudando muito na boa imagem do nosso terceiro mundão... É o espaço que nos dão. Fazer o que?!