quarta-feira, 1 de outubro de 2008

59 anos de um Governo desumano

Os chineses comemoraram, nesta quarta-feira, os 59 anos da República Popular da China. O Partido Comunista da China (PCC) governa o país por meio de um sistema de partido único desde a revolução, liderada por Mao Tse-Tung, que derrubou a dinastia Manchu. O líder angariou grande parcela da população que, no contexto pós Segunda Guerra Mundial, depois de ver seu país invadido e tendo sofrido todas as conseqüências que uma guerra gera por si própria, sofria com os problemas de miséria e exploração.
Na praça da Paz Celestial, no centro de Pequim, 190 mil pessoas se reuniram para ouvir o hino nacional e assistir ao hasteamento da bandeira da China. Muitos chineses chegaram antes da meia-noite para conseguir ficar próximos à ela. O evento mostrou-se bastante comovente e de grande relevância para o país: durante o hasteamento, 10 mil pombos foram soltos e o presidente Hu Jintao colocou um buquê de flores diante do Monumento aos Heróis do Povo na Manhã, além de ter decretado feriado nacional durante toda a semana.
O massacre ocorrido há quase 20 anos na mesma praça pelas forças de segurança contra estudantes que realizavam um protesto por maior liberdade no país reflete uma contradição existente no país. Enquanto o Governo chinês mostra-se extremamente repressor, autoritário, ignorando os Direitos Humanos e a liberdade de expressão e de imprensa, o povo, aquele mesmo povo que tempos atrás lutava por um país mais justo, pelo fim da exploração e por uma vida mais digna, hoje lota uma das principais praças do país para, justamente, prestigiar o Governo.
Os propósitos da revolução que o líder chinês desejava não vingaram. Atualmente o país afunda no poço da “desumanização”. Enquanto isso, o povo finge que nada acontece e deixa ir embora tudo o que um dia sonharam alcançar.

3 comentários:

marina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gabriel Salgado - Musta disse...

Ovelhinha!!

Gostei bastante do seu post.
Triste ver o processo histórico vivido por um povo esquecido.
A morte daqueles que ajudaram a construir o país mais popular do mundo, caindo no esquecimento com a adulação e comemorações de um aniversário que já não significa tanta coisa assim.

Parabéns pelo Post!



Obs: Coincidência de Posts, falei hoje no Haja sobre a China (não com tanta qualidade, é claro,hehe)

Ana Lis Soares disse...

Muito bom texto, Ovelha! Adorei... E, olha só!... 4 posts!!!!
hehehe

Parabéns!